Pré-Escola

Ser criança é natural!

Atualizando (03/agosto/2020)

* Clique no botão abaixo para acessar as atividades.

Atualizando (06/julho/2020)

* Clique no botão abaixo para acessar as atividades.

Atualizando (22/junho/2020)

O Direito de conviver e participar estão restritos, no momento, ao ambiente familiar. O que não significa menos oportunidades, mas talvez mais oportunidades. Esses são os Direitos de Aprendizagem e Desenvolvimento previsto na BNCC e foco dessa semana nas atividades que sugerimos para ajudar a garanti-los num momento tão desafiador para as famílias e para os educadores. 

 Para garantir e consolidar a participação e a convivência do cidadão na sociedade é preciso aceitar e acolher o fato de que a  formação do sujeito político tem que começar cedo, por meio da garantia de participação das crianças pequenas, seja na escola, na comunidade, na família, seja em qualquer lugar, nas tomadas de decisão que lhes afetam.

A BNCC documento que orienta o currículo nacional para a Educação Infantil, está organizada com 6 direitos : CONHECER-SE, BRINCAR, CONVIVER, PARTICIPAR, EXPRESSAR e EXPLORAR, que se efetivam nos campos de experiências. Esses direitos se interligam e complementam perpassando por todos os campos de experiências. Ao considerá-los, garantimos boas experiências que geram múltiplas aprendizagens.

Temos disponibilizado, semanalmente, algumas propostas para as crianças que respeitam sua forma própria de ser e estar no mundo, colaborando para potencializar as aprendizagens, reconhecendo que esses direitos também podem estar presentes no ambiente familiar.

 

ATIVIDADE 1 – História para viver
CAMPO DE EXPERIÊNCIA - O EU, O OUTRO E O NÓS

CONVIVER com crianças e adultos em pequenos grupos, reconhecendo e respeitando as diferentes identidades e pertencimento étnico-racial, de gênero e religião de seus
parceiros.

Essa história fala de escolhas e respeito, e principalmente do respeito a si mesmo!

Um pouco de  história, para resgatar uma memória, de um momento muito especial a “Feira Literária de Miguel Pereira – FLIMP”, que aconteceu no ano passado, envolveu professores e crianças, num evento com muita história, imaginação e alegria. Não deixem de conferir as fotos na galeria do site.

 

ATIVIDADE 2  - Brincadeiras populares
CAMPO DE EXPERIÊNCIAS - CORPO, GESTOS E MOVIMENTOS

PARTICIPAR de atividades que envolvem práticas corporais, desenvolvendo autonomia.

Jogos e brincadeiras são importantes para que as crianças convivam  e participem de situações em que as regras precisam ser respeitadas.

Com essas brincadeiras  vamos resgatar outra memória importante da cultura popular, as Festas Juninas ou Festa da Roça, tão tradicionais nas escolas por fazerem parte da cultura regional.

 

 ATIVIDADE  3  –  Quadrilha virtual

CAMPO DE EXPERIÊNCIAS - TRAÇOS, SONS, CORES E FORMAS
 

CONVIVER e fruir com os colegas e professores manifestações artísticas e
culturais da sua comunidade e de outras culturas - artes plásticas, música, dança, teatro, cinema, folguedos e festas populares.

Essa é uma sugestão da Professora Marismar da E.M. Carmem de Luca Andreiolo. Que tal experimentar uma quadrilha em família?!  

 

* Bônus

Essa é uma sugestão da Professora Marismar da E.M. Carmem de Luca Andreiolo. Que tal experimentar uma quadrilha em família?!  

 

ATIVIDADE 4 –  Conhecendo a história
CAMPO DE EXPERIÊNCIAS - ESCUTA, FALA, PENSAMENTO E IMAGINAÇÃO

PARTICIPAR de rodas de conversa, de relatos de experiências, de contação e leitura de histórias e poesias, de construção de narrativas, da elaboração, descrição e representação de papéis no faz de conta, da exploração de materiais impressos e de variedades linguísticas, construindo diversas formas de organizar o pensamento.   

Contar histórias é uma das formas mais divertidas e lúdicas para se ensinar, e quando participamos da história é melhor ainda.  Resgatar fotos antigas é uma forma de mostrar que fazemos parte da história.  Essas fotos trazem a lembrança das festas nas escolas em anos diferentes, muitas vivências e muitas saudades.

 

Vamos recordar com nossas crianças essa festa, como era quando você era criança?  (Mostre suas fotos) Como era a sua escola? O que você mais gostava na festa? Para as crianças que nunca participaram dessa festa, será um momento de descoberta!

 

E por falar em história...

Música brasileira animada  – Marcelo Serralva - A vida do viajante – Luiz Gonzaga para crianças

Famílias em Ação

* História contada por Sophia Seves, da E.M. Pantanal

Atualizando (08/junho/2020)

As crianças têm uma potencialidade enorme de se expressarem e aprenderem de diferentes formas nessa idade e é fundamental que a escola e a família criem condições para que isso aconteça.  

 

“Expressar é posterior ao explorar, só se pode expressar quando conhece” Maria Virgínia Gastaldi        

A expressão oral tem sua importância e colocar a conversa em prática não requer nenhum tipo de habilidade do adulto, além dos bons momentos em família, traz vantagens para as crianças. Um estudo publicado em fevereiro por uma equipe do Massachusetts Institute of Technology (Estados Unidos) concluiu que, mais do que ler para a criança, uma simples conversa entre filhos e pais é suficiente para ativar áreas do cérebro responsáveis pelo desenvolvimento da linguagem.  É quase mágico.

A  BNCC  documento que orienta o currículo nacional para a Educação Infantil, está organizada com  6 direitos : CONHECER-SE, BRINCAR, CONVIVER, PARTICIPAR,  EXPRESSAR e EXPLORAR, que se efetivam nos campos de experiências. Esses direitos se interligam e complementam perpassando por todos os campos de experiências.  Ao considerá-los, garantimos boas experiências que geram múltiplas aprendizagens.                                                         
 ATIVIDADE 1 – Entrevista com especialista

CAMPO DE EXPERIÊNCIA - O EU, O OUTRO E O NÓS   
EXPRESSAR às outras crianças e/ou adultos suas necessidades, emoções, sentimentos, dúvidas, hipóteses, descobertas, opiniões, oposições. 
 
FONTE:http://www.bwcontabilida

FONTE:http://www.bwcontabilidade.com.br/ 


Nessa atividade vamos colocar a criança como protagonista, ela será entrevista e suas opiniões serão muito importantes. As perguntas podem ser pessoais, sobre coisas que as crianças gostam, ou podem ser perguntas da atualidade, como por exemplo: Qual é a sua opinião sobre as ações de combate ao corona vírus?  Qual seria, para você, a melhor forma de evitar a contaminação?  Como as escolas poderiam fazer para voltar a ter aulas? Ou questões sobre meio ambiente: Quais atitudes de preservação você acha mais eficaz? Fale um recado para as pessoas que jogam lixo no chão. Entre outras, usem a criatividade!!!!  

 

As crianças também podem ser os entrevistadores e criarem suas próprias perguntas.  Outra sugestão é brincar de imaginar, e deixar que a criança seja um personagem e entreviste o personagem, ela poderá ser prefeito, médico, professor, super-herói, etc. 
 

ATIVIDADE 2 – Campeonato de caretas

 CAMPO DE EXPERIÊNCIAS - CORPO, GESTOS E MOVIMENTOS    

EXPRESSAR corporalmente emoções e representações tanto nas relações cotidianas como nas brincadeiras, dramatizações, danças, músicas, contação de histórias. 
 

Vamos organizar um campeonato de CARETAS,  podemos fazer enfrente ao espelho, ou se tiver mais pessoas podemos fazer em roda.  Vamos reproduzir as 
caretas dos personagens.  O vencedor será quem fizer todas as caretas da melhor forma.  
Outra ideia é deixar que os participantes criem suas próprias caretas, e ganha quem fizer a careta mais feia.  
E claro, não deixem de compartilhar!!! 


Brincadeira retirada do site: https://www.tempojunto.com/2015/06/07/12-brincadeiraspara-organizar-uma-gincana-de-estimulos/ onde você pode encontrar muitas outras sugestões. 
 

 ATIVIDADE 3 – Visita ao museu

CAMPO DE EXPERIÊNCIAS - TRAÇOS, SONS, CORES E FORMAS

EXPRESSAR suas emoções, sentimentos, necessidades e ideias cantando, dançando, esculpindo, desenhando, encenando

MONALISA FONTE: https://tconline.com.br/projeto-coloca-criancas-de-escola-gaucha-em-obras-de-arte-famosas/ 
FRIDA KAHLO: https://br.pinterest.com/pin/401453754264687126/  
O GRITO FONTE: http://sagradogar.redesagradosul.com.br/

 

 Desde o início da pandemia, dezenas de museus brasileiros e internacionais deixaram suas galerias disponíveis na internet.  Nada melhor para se expressar do que explorar, vamos conhecer alguns museus, conversar sobre o que acham das obras, descobrir juntos e depois vamos fazer uma releitura de forma criativa, poderá ser através de desenho, pintura, escultura ou encenação, vocês que irão escolher. Para acessar os museus clique no link a sua escolha: 

Imagem do museu ccbb

CENTRO CULTURAL BANCO DO BRASIL 

EXPOSIÇÃO EGITO - https://www.ccbbvirtual.com.br/   
 

Imagem do google arts

PARA VISITAR, À SUA ESCOLHA,  VÁRIOS MUSEUS PARCEIROS,

ACESSE: https://artsandculture.google.com/explore?hl=en 

Imagem pinacoteca são paulo

PINACOTECA DE SÃO PAULO -  http://pinacoteca.org.br  

ATIVIDADE 4 – Fantoches

CAMPO DE EXPERIÊNCIAS -  ESCUTA, FALA, PENSAMENTO E IMAGINAÇÃO  

EXPRESSAR sentimentos, ideias, percepções, desejos, necessidades, pontos de vista, informações, dúvidas e descobertas, utilizando múltiplas linguagens, considerando o que é comunicado pelos colegas e adultos.   

 

Os fantoches são ótimas opções para a criança se expressar com criatividade, através do uso desses elementos, podemos permitir que a criança se expresse de forma descontraída, representando situações cotidianas ou imaginárias.

Abaixo encontramos algumas  sugestões de fantoches com materiais reciclados. 
https://www.istockphoto.com/br/                        

https://www.comofazerartesanatos.com.br  

ATIVIDADE 5 – Experiência

CAMPO DE EXPERIÊNCIAS -  ESPAÇOS, TEMPOS, QUANTIDADES, RELAÇÕES E TRANSFORMAÇÕES EXPRESSAR suas observações, explicações e representações sobre objetos, organismos vivos, fenômenos da natureza, características do ambiente.  
 
Terrário - nada melhor para promover a expressão do que a observação atenta de fenômenos da natureza. Essa atividade irá render muito papo e curiosidade.

* Vamos precisar de:

Uma garrafa pet incolor(ou outro pote transparente)          

Pedrinhas

Areia

Terra adubada

Mudinhas de plantas

Água

*  Modo de fazer: pegue uma garrafa PET e corte, aproximadamente a 4 dedos da tampa.

Reserve a parte cortada com a tampa.

- lave a garrafa com água e sabão e enxague bem. 
 - com um pano limpo enxugue toda a garrafa, 
 - no fundo da garrafa  despeje uma camada de pedrinhas 
 - em seguida coloque a mesma espessura de areia. 
 - por cima de tudo coloque um pouco de terra adubada.  - umedeça a terra cuidando para não encharcar  
- plante algumas mudinhas. (suculentas são uma boa opção) 
- se for possível procure minhocas, lesmas, tatuzinho, formiga, bichos pequenos da terra e coloque-os no terrário.  
- junte a metade inferior a superior da garrafa de refrigerante unindo as duas partes com fita adesiva. 
- deixe o terrário em um lugar bem iluminado. 
 E agora é só observar! 

* FAMÍLIAS EM AÇÃO 

* GALERIA DE FOTOS

Atualizando (01/junho/2020)

UM CONVITE À CURIOSIDADE!

Esse direito está relacionado com a forma como a criança pequena aprende: a partir de sua curiosidade e na ação, possibilitando as crianças explorarem situações que façam sentido para elas, não é a quantidade de informações que promove aprendizagens, e sim, a qualidade da interação entre as partes.
Num momento tão desafiador para famílias e educadores, vamos nos unir para potencializar as aprendizagens, reconhecendo que esses direitos estão presentes também no ambiente familiar.
A BNCC documento que orienta o currículo nacional para a Educação Infantil, está organizada com 6 direitos : CONHECER-SE, BRINCAR, CONVIVER, PARTICIPAR, EXPRESSAR e EXPLORAR, que se efetivam nos campos de experiências. Esses direitos se interligam e complementam perpassando por todos os campos de experiências. Ao considerá-los, garantimos boas experiências que geram múltiplas aprendizagens.

 

ATIVIDADE 1 - Desapego
CAMPO DE EXPERIÊNCIA - O EU, O OUTRO E O NÓS


EXPLORAR diferentes formas de interagir com parceiros diversos em situações variadas, ampliando sua noção de mundo e sua sensibilidade em relação aos outros.

Fonte:https://www.cegonhadealuguel.com.br

O desapego é um ato pessoal de entrega e amor com o próximo. Envolve questões pessoais e culturais, mas uma coisa é certa: além de evitar o acúmulo, a doação estimula fortemente o hábito e o sentido de ajudar o próximo. Quando o assunto é brinquedo, o dilema é o mesmo em boa parte das famílias. É muito importante explicar para as crianças que existem outras crianças como eles que não possuem nada para brincar. E que aquele carrinho, aquela boneca ou fantasia de princesa e super-herói certamente vai deixar um menino ou uma menina tão feliz quanto eles foram quando os receberam. Uma vez convencidas, as crianças têm de se sentir responsáveis pelos seus atos. Assim, devemos respeitar sempre suas opiniões. Você pode até dar palpite, lembrar que ela já passou da idade de aproveitar este ou aquele brinquedo. Mas a decisão final tem de ser delas. Importante é dizer, apenas, que os brinquedos doados têm de estar em bom estado. O ideal seria fazer essa entrega pessoalmente, mas nesse período que estamos passando, o correto é direcionar o brinquedo à uma instituição ou ONG já que esteja atuando.

 

ATIVIDADE 2 – Respirando como a natureza

CAMPO DE EXPERIÊNCIAS - CORPO, GESTOS E MOVIMENTOS

EXPLORAR amplo repertório de movimentos, gestos, olhares, produção de sons e de mímicas, descobrindo modos de ocupação e de uso do espaço com o corpo.

Essa atividade foi sugerida pela professora Liliane Rodrigues, da E.M. Prof.º Cornélio José Fernandes Neto. Nesta atividade, as crianças, junto a seus pais, familiares ou cuidadores, participam de um jogo de cartas(usaremos imagens) cujo objetivo é praticar diferentes tipos de respiração. Ao selecionar uma imagem, todos se concentram em fazer a respiração nela indicada. É uma proposta de atenção plena, prática que auxilia no desenvolvimento da percepção e autoregulação. A atividade na íntegra você encontra no material disponibilizado logo abaixo.

ATIVIDADE 3 – Baú de recordações

CAMPO DE EXPERIÊNCIAS - TRAÇOS, SONS, CORES E FORMAS

EXPLORAR variadas possibilidades de usos e combinações de materiais, substâncias, objetos e recursos tecnológicos para criar desenhos, modelagens, músicas, danças, encenações teatrais e musicais.

Essa atividade foi proposta pela professora Deyse de Moura, da E.M. Carmem de Lucca Andreiollo. Iremos precisar de: uma caixa, papeis, materiais diversificados, muita criatividade e carinho. Vamos transformar a caixa num lindo baú, para guardarmos nossas boas recordações desse período.

O reaproveitamento de materiais é uma ótima alternativa para produções de atividades artísticas.

ATIVIDADE 4 – Desafio

CAMPO DE EXPERIÊNCIAS - ESCUTA, FALA, PENSAMENTO E IMAGINAÇÃO

EXPLORAR gestos, expressões, sons da língua, rimas, imagens, textos escritos, além dos sentidos das palavras, nas poesias, parlendas, canções e nos enredos de histórias, apropriando-se desses elementos para criar novas falas, enredos, histórias e escritas convencionais ou não.

Após a leitura desta história, podemos perceber que algumas palavras rimam. (Rima é quando o som do final das palavras é igual).

O desafio é: criar uma rima, pode ser uma poesia ou uma música, é importante que apareça o seu nome ou fale de você. Outra sugestão é criar a rima com o tema: Meio ambiente, afinal, no dia 5 de junho, é o dia Mundial de conscientização sobre a importância da preservação da natureza.

 

ATIVIDADE 5 – Releitura

CAMPO DE EXPERIÊNCIAS - ESPAÇOS, TEMPOS, QUANTIDADES, RELAÇÕES E TRANSFORMAÇÕES

EXPLORAR características do mundo natural e social, nomeando-as, agrupando-as e ordenando-as segundo critérios relativos às noções de espaços, tempos, quantidades, relações e transformações.

Essa atividade foi sugerida pela professora Liliane Moreira, da E.M. Waldemar Vieira de Rosa. E a imagem fala por si.

Fonte: Inventoteca – Ideias Pedagógicas

EXPLORAR...

Investigar, interagir, conhecer, encantar, brincar!

Depois pode-se fazer um registro em qualquer papel, que se tenha em casa, registrando a cena que mais gostou. Poderemos produzir inclusive as tintas para execução dessa atividade, mas infelizmente, não consegui fazer o azul, naturalmente, sugiro a utilização de corante alimentar.

Fazer a tinta é uma opção boa para o bolso e mais segura que as tintas industrializadas. E sem contar que você explora de forma divertida os sentidos da criançada. Deixe sentir as diferentes texturas, cheiros e sabores que cada um dos ingredientes traz. Para fazer as tintas naturais você pode utilizar flores, frutos, vegetais e raízes.

A receita é super fácil e rápida. Você irá precisar de três itens apenas água, liquidificador e beterraba (a beterraba pode ser substituída por cenoura, espinafre ou amoras) colorau, pó de café, açafrão, terra, carvão, também podem ser utilizados e não utiliza liquidificador.

É só misturar tudo no liquidificador e pronto!

Para uma textura mais espessa pode acrescentar amido de milho ou farinha. Você pode preparar a tinta e depois levar ao fogo ou preparar o mingau (amido de milho e água) antes.

GALERIA DE FOTOS

Mais fotos dos nossos alunos.

Atualizando (25/maio/2020)

GALERIA DE FOTOS

Alunos da Educação Infantil, de várias escolas, realizando as atividades propostas.

“A brincadeira oferece um sentimento de paz, de conforto para as crianças . Mesmo aquele brincar enérgico, que corre, que pula, que exige força. Ao observá-las depois de toda essa ação percebe-se que elas se sentem bem. Por isso que durante este momento de quarentena, a melhor ferramenta para manter o desenvolvimento e a saúde mental das crianças é o brincar ”. Gandhy Piorsky

 

A BNCC documento que orienta o currículo nacional para a Educação Infantil, está organizada com 6 direitos : CONHECER-SE, BRINCAR, CONVIVER, PARTICIPAR, EXPRESSAR e EXPLORAR, que se efetivam nos campos de experiências. Esses direitos se interligam e complementam perpassando por todos os campos de experiências. Ao considerá-los, garantimos boas experiências que geram múltiplas aprendizagens.

ATIVIDADE 1 - Brincar sem brinquedo

CAMPO DE EXPERIÊNCIA - O EU, O OUTRO E O NÓS

•BRINCAR com diferentes parceiros desenvolvendo sua imaginação e solidariedade. Essa história contada pela professora Danielle Graciane, e logo abaixo no formato pdf para leitura pelo adulto cuidador.

ATIVIDADE 2 – Telefone sem fio corporal

 

CAMPO DE EXPERIÊNCIAS - CORPO, GESTOS E MOVIMENTOS

BRINCAR utilizando criativamente o repertório da cultura corporal e do movimento.

ATIVIDADE 3 - DESAFIO

 

CAMPO DE EXPERIÊNCIAS - TRAÇOS, SONS, CORES E FORMAS

BRINCAR com diferentes sons, ritmos, formas, cores, texturas, objetos, materiais, construindo cenários e indumentárias para brincadeiras de faz-de-conta, encenações ou para festas tradicionais.

O desafio será criar uma encenação de história ou música, utilizando materiais e roupas que encontrarmos em casa.

 

ATIVIDADE 4 

 

CAMPO DE EXPERIÊNCIAS - ESCUTA, FALA, PENSAMENTO E IMAGINAÇÃO

BRINCAR com parlendas, trava-línguas, adivinhas, memória, rodas, brincadeiras cantadas, jogos e textos de imagens, escritos e outros, ampliando o repertório das manifestações culturais da tradição local e de outras culturas, enriquecendo sua linguagem oral, corporal, musical, dramática, escrita, dentre outras.

ATIVIDADE 5 

CAMPO DE EXPERIÊNCIAS - ESPAÇOS, TEMPOS, QUANTIDADES, RELAÇÕES E TRANSFORMAÇÕES

BRINCAR com materiais, objetos e elementos da natureza e de diferentes culturas e perceber a diversidade de formas, texturas, cheiros, cores, tamanhos, pesos, densidades que apresentam.

https://napracinha.com.br/2015/06/hora-de-brincar-jogo-dos-contornos/

ATIVIDADE DA PROFESSORA LILIANE: " Jogo da Memória Natural "

 

Esse jogo faz sucesso com a criançada, porque eles colhem as folhas, escolhem as quais querem, devem fazer a seleção de quais são iguais para então montar o jogo!

“A proposta é tirar o lúdico de objetos normais, o que a criança sabe fazer. Estamos ensinando os adultos a disponibilizar isso para os pequenos”, Graziela Iacooca

 

FAMÍLIAS EM AÇÃO

Oitava semana (18/maio/2020)

Chegamos a oitava semana de atividades em nosso site!!!! O tempo não espera, por isso não podemos descuidar do desenvolvimento de nossas crianças.  Desde a primeira semana temos o cuidado de propor as famílias atividades de interação e brincadeiras, que possam minimizar os danos causados por estresse tóxicos e outras comorbidades de um distanciamento social de tanto tempo.  Agradeço imensamente a TODOS  que se dedicam, participam e colaboram para que consigamos alcançar sempre o melhor para nossas crianças!!! 
 

GALERIA DE FOTOS

Alunos da Educação Infantil, de várias escolas, realizando as atividades propostas.

Vamos escutar nossas crianças. Vamos permitir que o mundo conheça o que pensam  algumas crianças sobre esse momento tão singular que estamos vivendo, em #DistanciamentoSocial!  Vamos garantir o #Direitoaconhecer-se

Acreditamos na importância da existência de condições para que elas possam expressar suas necessidades e desejos, de forma a possibilitar que suas falas colaborem com a implementação de nossas  ações.  Acreditamos que essa escuta é fundamental para lhes dar visibilidade, reconhecê-las e valorizá-las

Num momento tão desafiador para as famílias e para os educadores, queremos continuar colaborando para potencializar a aprendizagens, reconhecendo que os direitos de aprendizagens, trazidos pela BNCC, também  podem estar presentes no ambiente familiar. Por isso, a partir dessa semana,  separamos algumas propostas para as crianças, que respeitam sua forma própria de ser e estar no mundo.  
A  BNCC  documento que orienta o currículo nacional para a Educação Infantil, está organizada com  6 direitos : CONHECER-SE, BRINCAR, CONVIVER, PARTICIPAR,  EXPRESSAR e EXPLORAR, que se efetivam nos campos de experiências. Esses direitos se interligam e complementam perpassando por todos os campos de experiências.  Ao considerá-los, garantimos boas experiências que geram múltiplas aprendizagens.  
 

 ATIVIDADE 1 -  Árvore do afeto

CAMPO DE EXPERIÊNCIA - O EU, O OUTRO E O NÓS 


CONHECER-SE e construir uma identidade pessoal e cultural, valorizando suas características e as das outras crianças e adultos, aprendendo a identificar e combater atitudes preconceituosas e discriminatórias.  Essa proposta foi feita pela professora Maria José(Zezé) da E.M.Waldemar Vieira da Rosa, para trabalhar a família, mas conhecer-se implica em respeitar os outros, e respeito gera afeto. Então vamos demonstrar nosso afeto, desenhando uma árvore e nela colocando o nome e um desenho das pessoas que sentimos falta, amigos da escola, familiares, etc. todos que estão em nosso coração. 
 
  Lembrete: Deixem que a criança produza seu próprio desenho, se possível, sempre valorizando suas produções. E utilize a letra BASTÃO, como essa que está na imagem.

ATIVIDADE 2 – Explorando o corpo  

CAMPO DE EXPERIÊNCIAS - CORPO, GESTOS E MOVIMENTOS

 

CONHECER-SE nas diversas oportunidades de interações e explorações com seu corpo.  Essa atividade foi sugerida pela Professora Alda, da E.M. Guararapes. Construa vários cartões com desenhos de posturas que podem ser reproduzidas pelas crianças, depois sorteie para que elas reproduzam. Essa atividade com crianças de 5 anos pode ser realizada de forma inversa, o adulto faz a postura e a criança reproduz no desenho. E depois utilizem os cartões.  

Lembrete: Usem a criatividade! 

ATIVIDADE 3 – Autorretrato  CAMPO DE EXPERIÊNCIAS - TRAÇOS, SONS, CORES E FORMAS

 

CONHECER-SE no contato criativo com manifestações artísticas e culturais locais e de outras comunidades. 

Autorretrato é a possibilidade da criança através da arte expressar com criatividade e imaginação sua visão de si e dos outros, possibilitando o uso de materiais diversos.  

Fontes: Tempojunto.com, Ateliê Carambola, Escola de Ed. Infantil)

Lembrete: Precisamos respeitar o tempo de cada crianças para o resultado de suas produções. Não façam comparações. 
 

ATIVIDADE 4 – Identidade através do nome

CAMPO DE EXPERIÊNCIAS -  ESCUTA, FALA, PENSAMENTO E IMAGINAÇÃO

 

CONHECER-SE e reconhecer suas preferências por pessoas, brincadeiras, lugares, histórias, autores,gêneros linguísticos, e seu interesse em produzir com a linguagem verbal. A proposta aqui é que a criança tenha a oportunidade de conhecer e explorar seu nome nas diversar formas: a história do nome(quem escolheu, por quê, o significado) a escrita do nome(fazer cartões com o nome da criança utilizando letra BASTÃO para que ela possa visualizar, experimentar, conhecer, construir). A professora Gabriela da E.M.Manoel Bernardes, fez algumas sugestões:

 

Algumas dicas para trabalhar com o nome da criança. 
1. O adulto escreve a letra inicial do nome da criança no chão e pede para que coloque gravetos ou pedras para cobrir a letra, também pode usar tampinhas.

 2. Em folha, escrever o nome da criança para que ela cole palitos de fósforo, grãos ou papel picado.

 3. Em folha, escrever o nome da criança e, em revistas e jornais, recortar as letras correspondentes para colar abaixo.  

4. Em folha, escrever o nome da criança para que contorne as letras com tinta. 

ATIVIDADE 5 – Linha do tempo

CAMPO DE EXPERIÊNCIAS -  ESPAÇOS, TEMPOS, QUANTIDADES, RELAÇÕES E TRANSFORMAÇÕES

 

CONHECER-SE e construir sua identidade pessoal e cultural, reconhecendo seus interesses na relação com o mundo físico e social. Vamos construir uma linha do tempo com a criança, através de fotos, desenhos e boa conversa. Podemos começar quando os pais se conheceram e chegar aos dias atuais, registrando os momentos mais importantes.  
 

Sétima semana (11/maio/2020)

GALERIA DE FOTOS

Alunos da Educação Infantil, de várias escolas, realizando as atividades propostas.

FAMÍLIA = CUIDADO

Fechamento de escolas, trabalho remoto, distanciamento físico... A pandemia da COVID-19 transformou a vida familiar no mundo todo. São muitas coisas para lidar ao mesmo tempo - especialmente para os pais. Por isso pensamos no cuidado como forma de estreitar esses relacionamentos tão diferenciados neste momento.

A família é o primeiro relacionamento social e afetivo que temos, aprendemos a falar, ouvir, imitar, gerir nossas emoções.

Tristezas, alegrias, partidas e chegadas, festas e encontros, momentos juntos não faltavam, mas agora tivemos novas formas de encontros, encontros com o coração, apesar das distâncias, encontro de olhar por trás das máscaras. Proponho que possamos nessa semana encontrar com nossa história de família!

Atividade 1 : Sugestão da leitura do O LIVRO DA FAMÍLIA

· Após a leitura do livro vamos conversar: Como é nossa família? E realizar uma atividade bem antiga, confeccionar a família de papel, poderemos utilizar qualquer tipo de papel (jornal, revistas, papel de presente, folha A4, etc) , dobre a folha em forma de leque, com dobras largas, desenhe um boneco e recorte, sem separar as mãos.

· Vamos personalizar bem bonito!!!!

Atividade 2 - A história da família

* Hora de revirar o baú de fotografias e resgatar a história da família, abaixo o vídeo que conta a história de como surgiu uma família, começando no Tataravô. Vamos ver quem consegue? O registro pode ser feito do jeitinho que vocês escolherem: vídeo, montagem com fotos, desenho da árvore genealógica, pode ser apenas oral. O importante é ter a oportunidade de ouvir como surgiu nossa família!

Atividade 3 Brincadeiras em família 

* Como na Educação Infantil, não podemos deixar de brincar, vamos brincar com nossa família!

QUIZZ DOS SENTIDOS:

· Com os olhos vendados, precisaremos identificar as pessoas da nossa casa, ou objetos pessoais, dizendo de quem é o objeto (escolham objetos pessoais de uso frequente)

· Ainda com os olhos vendados poderemos identificar cheiros (perfumes, xampu, desodorantes,)

· Através de áudios precisaremos identificar as pessoas da família que não moram na nossa casa. Combina- se uma frase, várias pessoas falarão a mesma frase e a criança e os adultos precisaram identificar quem está falando.

Atividade 4Roda de história 

* Para essa atividade é necessário que um adulto prepare uma sacola surpresa, com pelo menos 3 objetos pessoais de apego, de cada pessoa da família que mora na mesma casa, os objetos serão colocados na sacola e embaralhados com cuidado para não danificar os objetos. Sentados em roda, enquanto ouvem uma música e passam a sacola, pausa-se a música aleatoriamente. Quem estiver com a sacola na mão, pegará um objeto e contará a história dele com a pessoa, quem deu, quando, como é o uso, etc.

* Para Pensar:

"TEMPO DE QUALIDADE"

Este material está disponível na íntegra, gratuitamente para você ler, fazer o download para imprimir ou compartilhar em: https://www.fmcsv.org.br/pt-BR/biblioteca/cuidados-parentais-covid-19/?utm_source=codek&utm_medium=newsletter&utm_name=radarpi&utm_content=num14

* Sugestão: Música “Cuida com cuidado” Palavra Cantada  

Cuida com cuidado, da impaciência 
Cuida com cuidado, da solidão 
Cuida com cuidado, da violência 
Cuida com cuidado, da dispersão
 

* Diante do mistério mais onipresente da vida do ser humano - a morte - somos eternos curiosos, como as crianças. Então, como responder aos porquês sobre ela?  

https://lunetas.com.br/filmes-infantis-morte/?fbclid=IwAR13ALC5BMfcGrEsWJ9QA2UysKz42abRkIMOO1uJI-AoU1KMTLym4qDMpSQ  

 

* Nesta semana, o Unicef lançou o podcast "Deixa que Eu Conto", para crianças e famílias em tempos de coronavírus. Os episódios diários trazem brincadeiras, atividades e histórias para meninas e meninos em idade de frequentar a pré-escola e em processo de alfabetização.  

https://www.unicef.org/brazil/deixa-que-eu-conto?utm_source=codek&utm_medium=newsletter&utm_name=radarpi&utm_content=num16  

Sexta semana (04/maio/2020)

GALERIA DE FOTOS

Alunos da Educação Infantil, de várias escolas, realizando as atividades propostas.

UM NOVO OLHAR SOBRE OS ALIMENTOS

Fonte: https://trovoacademy.com/dinheiro/reaproveitamento-de-alimentos/

 

Você sabia que, segundo um estudo da ONU, um terço dos alimentos produzidos no mundo é desperdiçado? No Brasil, 50% de tudo que é colhido e cultivado se perde no manuseio, no transporte e no armazenamento, e mais 10% nas nossas casas. Não dá pra continuar assim, né?

A proposta para essa semana é para pensarmos nossa alimentação além do habitual, já estamos acostumados a consumir nossos alimentos sempre da mesma forma, iremos tentar conhecer nossos alimentos de outras formas, aproveitando todos os nutrientes e descobrindo novos sabores.

A falta de conhecimento da população sobre as propriedades nutricionais dos alimentos é um dos fatores que levam ao desperdício. Além da conscientização sobre o desperdício dos alimentos, a população também precisa conhecer os alimentos que farão bem ou mal para a saúde. A educação nutricional começa em casa, pensar maneiras de se reaproveitar alimentos, partes, sobras ou cascas pode  tornar- se prazeroso.

Todas as atividades propostas devem priorizar a participação das crianças, tornando-as protagonistas  na aquisição destes novos hábitos alimentares, conhecendo e descobrindo seus interesses.

DESAFIO DA SEMANA:

O desafio da semana será embasado no objetivo de aprendizagem e desenvolvimento do campo de experiência “Corpo, Gestos e Movimento”, nos itens: (EI02CG04) Demonstrar progressiva independência no cuidado do seu corpo. (EI03CG04) Adotar hábitos de autocuidado relacionados a higiene, alimentação, conforto e aparência.

O desafio é : “O DIA DO EU SOZINHO”

- Neste dia a criança deverá ser incentivada a realizar atividades de cuidado com o corpo e alimentação, SOZINHA.

Sempre com supervisão e orientação de um adulto, a criança poderá ainda : escovar os dentes ao acordar, pentear os cabelos e trocar de roupa, preparar seu lanche matinal, escolher uma brincadeira ou atividade, ajudar a preparar o almoço, arrumar a mesa, almoçar sozinho, (dependendo da idade já pode introduzir garfo e faca), lavar utensílios de plástico, guardar panelas, tomar banho, amarrar sapatos, cuidar das plantas, higienizar as frutas antes do consumo, entre outras coisas que poderão ser incluídas de acordo com o desenvolvimento de cada criança. O importante é priorizar o desenvolvimento das habilidades das crianças.

 

  

* Atividade 1 – IDENTIFICANDO

Nada melhor para desenvolver o gosto pela alimentação do que conhecer bem os alimentos.  Essa atividade foi sugerida pela professora Gabriela Feijó, da E.M. Manoel Bernardes Netto.

ALIMENTAÇÃO E BRINCADEIRA🥝🥑🍆🍓
Material : venda para os olhos, diversidade de alimentos

Com a criança vendada, apresentar alimentos para ela provar, cheirar ou apalpar e descobrir qual é o alimento (devem ser utilizados alimentos do cotidiano da criança, variando texturas, aromas e sabores, pode-se variar utilizando alimentos cozidos e/ou crus). Sugiro que a criança vende o adulto também, para que descubra os alimentos (elas amam).
Tia Gabriela 😘

 

* Atividade 2 –  VIVENCIANDO

NOITE GASTRONÔMICA - Organizar uma noite gastronômica em família, onde a criança escolherá o cardápio e a família fará juntos. Caso todos da família,  não possam participar, estes ficarão sendo os convidados.  As receitas deverão ter elementos de reaproveitamento de alimentos. As  crianças do pré III podem criar um cardápio ilustrado.

Inspiração:

Clique na imagem e inspire-se com receitas surpreendentes.

As cascas dos alimentos geralmente são retiradas devido à preferência, hábito ou tentativa de reduzir a exposição a agrotóxicos. No entanto, elas concentram boa parte dos nutrientes das plantas e diferente do que muitas pessoas imaginam, os alimentos que mais concentram agrotóxicos não são os vegetais com casca, e sim as carnes e outros derivados animais como o leite.

Para saber mais acesse: https://www.ecycle.com.br/7811-cascas.html

 

 

* Atividade 3 – Compostagem

Quando o reaproveitamento dos alimentos não é mais possível, e realmente as cascas e polpas, virarão “lixo”,  ainda temos uma possibilidade, que é a construção de uma composteira.

A compostagem é a "reciclagem dos resíduos orgânicos": é uma técnica que permite a transformação de restos orgânicos (sobras de frutas e legumes e alimentos em geral, podas de jardim, trapos de tecido, serragem, etc) em adubo. É um processo biológico que acelera a decomposição do material orgânico, tendo como produto final o composto orgânico, ideal para utilização em hortas ou jardins.

Composteira em casa

1 - No seu quintal, faça um buraco na terra de pelo menos 0,5 metro quadrado e cerca de 30 centímetros de profundidade. Para sustentar as paredes de terra, coloque um caixote ou caixa d’água sem o fundo nas laterais, que permita o acesso ao chão. Também é possível cercar a área em contato com a terra com uma cerca de arame, tábuas ou troncos.

2 - Deposite o material orgânico no espaço delimitado diariamente. Sem espalhar muito, concentre-o em um canto até encher o espaço.

3 - Cubra a superfície com folhas secas ou serragem. Não comprima a mistura, pois a falta de oxigenação nesse tipo de compostagem pode gerar mal cheiro.

4 - A cada 15 dias, revire todo o material para ajudar a aerar a terra e facilitar a decomposição.

5 - Em até três meses, as sobras de alimento vão se transformar em um adubo fértil, que pode ser usado em plantas e hortas.

 

Para composteira em apartamentos acesse: https://revistagloborural.globo.com/Noticias/Sustentabilidade/noticia/2018/08/como-fazer-uma-composteira-domestica.html

 

* Sugestões :

História  “Camilão,  o comilão” de Ana Maria machado

* Recadinho da professora Izabel Garseis:

* Leitura informativa:

Quinta semana (27/abril/2020)

CUIDADOS COM A ALIMENTAÇÃO

 

São muitos os fatores que levam a criança a se desenvolver de forma integral e a alimentação é um deles. Para isso, é necessário que ela tenha oportunidade de receber uma alimentação variada, nutritiva e saudável, preparada pela própria família. Alimentos industrializados devem ser evitados a todo custo e, até os 2 anos de idade, é recomendado que o leite materno possa estar presente na vida da criança. Afirma a Nutricionista da Coordenação Nacional da Pastoral da Criança, Caroline Dalabona. 

Na Educação Infantil o trabalho com os campos de experiência “consiste em colocar no centro do projeto educativo o fazer e o agir das crianças [...] e compreender uma ideia de currículo na escola de educação infantil como um contexto fortemente educativo, que estimula a criança a dar significado, reorganizar e representar a própria experiência … As experiências concretas da vida cotidiana, ou seja, no dia a dia nada é banal e nelas residem situações importantes a serem consideradas e problematizadas para as crianças, tais como as atividades de higiene, alimentação, sono; o convívio no espaço da vida coletiva nas interações com outras crianças e com os adultos;

a aprendizagem da cultura, na articulação dos saberes das crianças com aqueles que a

humanidade já sistematizou, na apropriação de rituais e modos de funcionamento de cada

cultura; a produção de narrativas individuais e coletivas através de diferentes linguagens, já que as crianças aprendem porque querem compreender o mundo em que vivem, dar sentido à sua vida. As crianças vivem suas brincadeiras de modo narrativo porque formulam e contam histórias ao mesmo tempo em que dramatizam.”  (Fochi, 2015).

 

Por isso, nessa semana teremos vivências que garantam os diretos de aprendizagens das crianças, ajudando-as a entender os cuidados com a alimentação;

 

Atividade 1 – Conhecer e expressar-se

 

A seguir temos fotos de crianças de algumas cidades do Brasil, que foram fotografadas junto com o que comem em uma semana. Observe as fotos e leia um pouco sobre as crianças. Ao final vamos refletir sobre a sua alimentação:

*Como seria se você fosse fotografado, teria mais alimentos naturais ou industrializados?

*Observe o que tem de comum na alimentação dessas crianças e na sua.

* Agora peça a criança que fale um pouco sobre seus hábitos alimentares, o que ela mais gosta de comer, quem faz a comida dela, faça um curto texto e envie junto com a foto da sua comida preferida para o grupo ou página da escola, para que seja enviada para a galeria do site da Secretaria Municipal de Educação.

Esta é  Kawakanih Yawalapiti, de 9 anos, que vive no Alto Xingu, uma terra indígena no Mato Grosso. A dieta de Kawakanih é bastante simples: é composta principalmente de peixe, tapioca, frutas e sementes.

Davi Ribeiro de Jesus, 12 anos, de Brasília.

A dieta de Davi, é variada: ele come de tudo, menos legumes amargos. Normalmente, há arroz e feijão, às vezes carne de porco. Davi também sabe cozinhar: ovo frito, mingau e macarrão. Ele nunca passa fome, mas sobremesas são menos frequentes: de vez em quando, tem pipoca doce.

Ademilson Francisco dos Santos, de 11 anos, de Vão de Almas, Goiás, no Cerrado brasileiro. Ademilson nunca tinha comido pizza ou cachorro-quente (e detestou o último, por sinal, que comeu no dia das fotos).

A família do garoto (da qual ele é um de 7 filhos) tem várias plantações – arroz, mandioca, batata doce, abóbora, feijão, pepino, quiabo, jiló, laranja, limão, melancia, milho, café e cana de açúcar -, além de colher várias frutas nativas, como buriti, mangaba, manga, jatobá, pequi, caju, e coco de palmeira-indaiá. Eles produzem óleo de coco e de mamona, gergelim e paçoca (Ademilson ama paçoca, e manga também).

Henrico Valias Sant’anna de Souza Dantas, de 10 anos, mora em um bairro fino de Brasília e, como os demais brasileiros, também foi fotografado em 2018.

São sua mãe, avó e empregada da casa que fazem a maior parte da comida que ele consome. Sua refeição preferida é feijoada, com arroz branco, farofa e couve. Henrico também ama doces, incluindo mousse de chocolate, Toblerone, Talento, Nutella, brigadeiro e sobremesas que ele e sua família inventam, como torrada com manteiga e Nescau.

 

Para conhecer hábitos alimentares de crianças de outros países, acesse o site https://hypescience.com/25-criancas-de-diferentes-paises-sao-fotografadas-com-o-que-comem-em-uma-semana/

Atividade 2 – Participar e conviver

Para que a criança tenha bons hábitos alimentares é importante que tenha exemplos, boa alimentação se aprende observando e provando. Estar junto durante os preparos, saber o que tem no prato, são essenciais para uma boa alimentação. Mas o visual conta muito, por isso teremos um DESAFIO: montar um prato cotidiano de forma criativa. Abaixo temos uma sugestão, mas podem abusar na criatividade junto com suas crianças.

Fonte:https://www.hojeemdia.com.br/plural/divertidos-e-cheinhos-de-sa%C3%BAde-decora%C3%A7%C3%A3o-estimula-crian%C3%A7as-a-se-alimentar-bem-1.609523

 

Dica: Quanto mais colorido for o prato, mais nutritivo será!

 

 

Atividade 3 – Explorar e brincar

 

Caça ao tesouro: nessa brincadeira, iremos desenvolver algumas habilidades necessárias para o desenvolvimento infantil e aproveitar para incentivá-lo a comer de forma diferenciada.

 

1- Monte uma cesta, pote ou caixa, com duas frutas que a criança não conheça ou não goste, e uma que ela goste muito. Esconda essa cesta, nesta sugestão ela estará na cozinha.

Segue algumas sugestões de pistas, mas você pode criar suas próprias pistas, elas podem ser escritas e escondidas nos locais sugeridos, ou você pode colocar um papel ilustrado e ler a pista.

1ª pista: Todos em silêncio, olhos abertos, fiquem atentos. Ouçam o vento...

olhem para cima e olhem seu corpo inteiro. A segunda pista está no banheiro.

 

2ª pista: Estão ficando quentes. Agora deem 3 passos à frente, mais 3 para o lado e 3 para o outro lado. A próxima pista está...  onde estão as(os) bonecas (os), algo vamos encontrar, mas procurem bem devagar.

 

3ª pista: Estamos indo bem. Agora pulem bem alto. Façam duas caretas. A próxima pista não está tão, tão distante... está logo ali, coladinha num espelho.

 

4ª pista: Agora vamos dançar. Dancem bem devagar. Quando acabar gritem alto, pois a próxima pista vou dizer onde está o tesouro. Está bem escondido, num lugar muito legal... tem colchão, travesseiros, podemos correr...

 

5ª pista: Criança, olhe para mim! Mãos para o alto, mãos até os pés, a língua pra fora, respirem fundo, já dá até pra sentir o seu cheiro! O tesoura está… onde tem comida o dia inteiro! Que fome!!!!

 

A grande vantagem dessa brincadeira é que ela pode ser realizada dentro de casa, até mesmo em apartamentos menores, ou adaptada para ambientes externos e terminar com um piquenique. Vale usar a criatividade e não facilite muito as pistas, pois essa é a parte mais divertida!

(atividade adaptada,  retirada do Livreto de Quarentena, Ed.02, Fiocruz )

HORA DA HISTÓRIA

 

História 1: "Bruxa, bruxa  - Venha à minha festa"

Narração da professora Ana Carla Neris, da E.M.Prof.º Cornélio José Fernandes Netto.

História 2: "Sr. Coron e como lidar com as emoções que ele traz"

Vídeo sugerido pela professora Viviane Pimentel, da Escola Municipal Prof. Adalice Soares

SUGESTÕES:

Vamos prestar bastante atenção nas dicas e sugestões da professora Izabel Garseis, da Escola Municipal Pantrezina:

"Como fazer uma horta"

MAIS UMA DICA:

"Passo a passo para fazer uma horta em casa"

https://www.pastoraldacrianca.org.br/hortas-caseiras/passo-a-passo-para-fazer-uma-horta-em-casa

FALANDO EM ALIMENTAÇÃO...

GALERIA DO PRÉ ESCOLAR

Circuito Psicomotor 

Aluna Marina - pré II - Escola Municipal Prof. Adalice Soares

Quarta semana (20/abril/2020)

UM CUIDADO ESPECIAL  

 

Nessa semana teremos uma momento muito especial, uma história para ser lida pelo adulto cuidador, proporcionando interação e escuta dos sentimentos e emoções. 

 

" Nas suas diferenças e diversidades, as crianças são completas, pois tem um corpo capaz de sentir, pensar, emocionar-se, imaginar, transformar, inventar, criar, dialogar: um corpo produtor de história e cultura. Estar junto aos outros significa estabelecer relacionamentos e interacoes vinculados aos contextos sociais e culturais. Portanto, a interação com os pais, avós, irmãos,  professores e outras crianças  é fundamental no desenvolvimento das crianças.  Relacionamentos afetuosos e vínculos significativos são essenciais para o desenvolvimento infantil.  A criança precisa dessa interação desde bebê. " DOC RJ 

- Clique na imagem para abrir a história.

Atividade 1 - Atenção  Plena

Essa atividade foi retirada do livro "Quietinho feito um sapo" de Eline Anel, Editora Bicicleta Amarela. A atenção plena é uma prática q visa a autorregulação da atenção no momento presente, através de exercícios e brincadeiras, de respiração, para o corpo e mente, que podem ser feitos em família,  fortalecendo vínculos entre pais e filhos.

 

TESTE DO ESPAGUETE

Esse exercício ensina você a relaxar completamente, relaxar como se fosse um fio de espaguete.  O relaxamento é importante, ele ajuda  a acalmar o seu corpo, você pode fazer o exercício sentado em uma cadeira,  deitado no chão ou em uma esteira, cabe a você escolher um lugar em casa onde você possa sentar ou deitar confortavelmente completamente focado em si mesmo e em seu corpo. Assim que você ficar quietinho feito um sapo, vamos começar ...

  • O que a infância das crianças indígenas pode ensinar às famílias dos grandes centros urbanos? Que inspirações e ensinamentos podemos tirar de seu modo de viver, de encarar o mundo e de se relacionar com a natureza? 

Para que se possa compreender a importância da cultura indígena, respeitá-la e valorizá-la, é preciso ouvir suas narrativas e aproximar-se de sua cultura. As brincadeiras de suas crianças revela como a chama de um saber ancestral consegue se manter viva apesar de todas as adversidades históricas. 

Conheça um pouco das infâncias da Comunidade Indígena Panará, no Pará: http://bit.ly/infancia-panara

Terceira semana (13/abril/2020)

É TEMPO DE CUIDAR DE SI E DE TODOS

A equipe da Pré-escola realizou um vídeo muito especial e cheio de CUIDADO E SAUDADE para nossas crianças. Espero que gostem!

De acordo com Documento de Orientação Curricular do estado do Rio de Janeiro, em seu  Art. 3º De acordo com a Base Nacional Comum Curricular, os currículos escolares, no âmbito do estado do Rio de Janeiro, devem possibilitar o (a) aluno(a) a:

VIII- Conhecer-se, apreciar-se e cuidar de sua saúde física e emocional, compreendendo-se na diversidade humana e reconhecendo suas emoções e as dos outros, com autocrítica e capacidade para lidar com elas.

IX- Exercitar a empatia, o diálogo, a resolução de conflitos e a cooperação, fazendo-se respeitar e promovendo o respeito ao outro e aos direitos humanos, com acolhimento e valorização da diversidade de indivíduos e de grupos sociais, seus saberes, identidades, culturas e potencialidades, sem preconceitos de qualquer natureza.

X- Agir pessoal e coletivamente com autonomia, responsabilidade, flexibilidade, resiliência e determinação, tomando decisões com base em princípios éticos, democráticos, inclusivos, sustentáveis e solidários.

Entendendo a necessidade de desenvolver essas competências em nossas crianças, durante essa semana vamos realizar atividades que favoreçam esse cuidado consigo e com os outros.

 

Atividade 1 – Conhecer-se

Normalmente, quando expressamos qualquer coisa com emoção, utilizamos gestos, imagens, metáforas verbais e diferentes tons de voz para nos comunicarmos melhor com as outras pessoas. Esses elementos nos ajudam a entender e a expressar muito mais que apenas palavras, sempre quando as emoções forem congruentes com tais palavras. Por isso, trabalhar as emoções é tão importante. Na atividade de hoje vamos conhecer nossas emoções e identifica-las. Para nos ajudar sugiro assistir ao filme “Divertidamente” com um olhar voltado para as emoções e suas expressões.

Depois vamos brincar “cara de quê” – nessa brincadeira o adulto esconde o rosto, e diz “_ Cara de quê o papai vai fazer?” e mostra o rosto com uma expressão, exemplo raiva, a criança deve identificá-la e dizer o que a deixa ssim. Depois inverte a brincadeira e a criança esconde o rosto e faz a expressão facial.

 

Atividade 2 – Aceitar-se

Para aceitar-se, precisamos parar de nos cobrar e saber que estamos fazendo o melhor, para aquele momento.  Esse vídeo do canal “que monstro te mordeu?” tem essa música sobre autocrítica, e muito material interessante e sem publicidade.   Após o vídeo sugiro uma boa conversa sobre a valorização de nossas habilidades. Para registro podemos combinar de realizar uma atividade que fazemos com muita destreza, cada um deverá identificar sua habilidade (pode ser cantar, dançar, dramatizar, fazer um desenho, uma escultura de argila, uma colagem, correr, pular bem alto, etc) fazer a atividade e postar uma foto nos grupos da escola, para que todos nós possamos conhecer melhor cada um de vocês.

Atividade 3–  Relacionar-se

Nesse momento após conhecer-se e aceitar-se, precisamos respeitar os outros, conhecendo-os e aceitando a diversidade.

Para essa atividade vamos buscar em nossas memórias, lembranças de nossos avós, familiares e amigos. Fazendo uma atividade que o agrade. Como nesse momento, precisamos estar cada um em sua casa. Poderemos fazer uma ligação, criar um vídeo ou fazer um cartão da saudade. Como essa sugestão da professora Liliane, da turma de Pré II da E.M. Profº Cornélio José Fernandes Neto, retirado de @olhar pedagógico no Instagran.

Dica: Visite também as páginas dos outros anos de escolaridade, temos muitas histórias, vídeos e brincadeiras legais!

Segunda semana (06/abril/2020)

FORTALECENDO A IMAGINAÇÃO PARA CUIDAR COM EMOÇÃO E ACALMAR O CORAÇÃO

“As experiências vividas no espaço de Educação Infantil possibilitam à criança o encontro de explicações sobre o que ocorre à sua volta e consigo mesma enquanto desenvolve formas de sentir, pensar e solucionar problemas. Nesse processo, é preciso considerar que a criança necessita envolver-se com diferentes linguagens e valorizar o lúdico, as brincadeiras e as culturas infantis.

Não se trata assim de transmitir à criança uma cultura considerada pronta, mas oferecer-lhe condições para que se aproprie de determinadas aprendizagens que promovam o desenvolvimento de formas de agir, sentir e pensar que são marcantes em um momento histórico. Quando a professora ajuda as crianças a compreenderem os saberes envolvidos na resolução de certas tarefas – como empilhar blocos, narrar um acontecimento, recontar uma história, fazer um desenho, consolar outra criança que chora, etc. – são criadas condições para o desenvolvimento de habilidades cada vez mais complexas pelas crianças. Elas têm experiências de aprendizagem e desenvolvimento diferentes daquelas com menos oportunidades de interação e exploração (OLIVEIRA, 2010). – DOC RJ

"É na brincadeira que a criança se comporta além do seu comportamento habitual de sua idade, além do seu comportamento diário. A criança vivencia uma experiência no brinquedo como se ela fosse mais do que é na realidade" (VYGOTSKY, 1989, p.177).

Nosso desafio é manter as vivências de atividades essenciais para as crianças neste tempo de mudanças, acolhê-las e acalmá-las, explorar a imaginação é garantir momentos de descontração e interação consigo mesma e com os outros.  “As experiências com a literatura infantil propostas pelo educador, mediador entre os textos e as crianças, contribui para o desenvolvimento do gosto pela leitura, do estímulo à imaginação e da ampliação do conhecimento do mundo.”(DOC RJ)

Nossa proposta para essa semana é explorar a imaginação através de histórias, músicas, movimento e interação, deixando a realidade e mergulhando na diversão. A história a seguir é uma sugestão que poderá ser explorada em todas as faixas etárias de pré-escola.

Atividade 1 

Brincando de Transformar

Corra para o quintal, procure um graveto e vamos transformar, todos que encontrarmos!!!(caso na sua casa não tenha quintal, você pode utilizar qualquer objeto que desejar para ser a sua varinha)

Atividade 2 

Explorando as rimas

A rima desenvolve nas crianças as habilidades da consciência fonológica, essenciais para a aquisição da leitura e escrita. Então minha sugestão é explorar as rimas:

* criem novas rimas como na história

* Criem rimas com os nomes dos familiares

* Construam um jogo da memória de rimas. Pesquise em jornais e revistas objetos que rimam, por exemplo mamão e limão, recorte, cole em pedaços de papel separados. E depois brinque como um jogo da memória tradicional

Variante: caso não tenham materiais para recorte, podem utilizar objetos, por exemplo, caminhão e avião, boneca e peteca, folha e rolha, etc.

 

Atividade 3  

Transformando com dobradura

Transformar um papel em outros objetos encanta as crianças!

Para mais sugestões de dobraduras, acesse o link 

Atividade 4

Cesto de tesouros

Entregue para a criança um cesto(pode ser um pote, uma sacola, etc) peça que ela crie seu cesto de tesouros, nele ela deve colocar objetos coletados na casa ou no quintal, que poderão ser utilizados para criar histórias.

 

Atividade 5

Arte com imaginação

Essa atividade de ser realizada buscando algum elemento da natureza e o transformando em outras coisas.

(no caso dos legumes, sugiro que só sejam utilizados se estiverem impróprios para o consumo)

A participação e as transformações introduzidas pelas crianças nas brincadeiras devem ser valorizadas, tendo em vista o estímulo ao desenvolvimento de seus conhecimentos, sua imaginação, criatividade, experiências emocionais, corporais, sensoriais, expressivas, cognitivas, sociais e relacionais.

 Histórias e Canções

 História “ O GATO XADREZ” – CONTADA PELA PROFESSORA Viviane Pimentel

Música “DUELO DE MÁGICOS” – Palavra Cantada

Música “PANO ENCANTADO” –  Lu Chamusca

Primeira semana (01 / abril/ 2020)

Recado aos pais e responsáveis:

A Coordenação Pedagógica da Educação Infantil, em relação aos últimos debates que envolvem orientações às famílias com atividades escolares destinadas as crianças nesta faixa etária destaca que, “A Educação Infantil é uma modalidade da Educação Básica cujo o objetivo é de ampliar o universo de experiências, conhecimentos e habilidades das crianças, diversificando e consolidando novas aprendizagens, atuando de maneira complementar à educação familiar.

No entanto estamos vivendo uma pandemia que, momentaneamente, nos impossibilita o convívio social no ambiente escolar. ​ Neste momento o interesse maior de todos nós, pais e educadores, é pela manutenção da VIDA. Não temos urgência em preparar nossas crianças para o futuro acadêmico, e sim em ajudá-las a compreender que somos seres naturais e que devemos cuidar dos nossos corpos como manifestação única e potente da natureza. E para isso, neste contexto de isolamento social, contamos com a compreensão de cada um de vocês, mães e pais, para o que é realmente necessário. Não se preocupem em buscar atividades direcionadas ou dicas de "como manter sua criança ocupada". APENAS VIVAM! ​ Acolham suas crianças.

Permitam que elas desfrutem de suas companhias, estejam disponíveis. Compartilhem experiências que lhes permitam protagonizar os cuidados pessoais (alimentar-se, vestir-se, higienizar-se) e os cuidados com a casa e com os alimentos. Destinem tempo de qualidade às brincadeiras. Plantem sementes e acompanhem juntos o desenvolvimento das plantas. Permitam-lhe, sobretudo, o direito de escolha. ​ Chegará o tempo em que estaremos juntos novamente, e então poderemos constatar que a qualidade dos momentos compartilhados por vocês e suas crianças, durante a quarentena, contribuiu com o repertório de experiências a serem relatadas, revividas ou apenas refletidas em crescimento não apenas de suas crianças, MAS PRINCIPALMENTE DE VOCÊS: MÃES E PAIS.

Encarem essa quarentena como uma oportunidade de viverem intensamente a infância de seus filhos. E tenham certeza de que tudo ficará bem!” A Secretaria Municipal de Educação, pretende organizar um espaço com materiais que tem como objetivo possibilitar que as crianças também possam falar de suas ideias, seus sentimentos e atitudes. Acreditamos na potência de nossas crianças e que, diante de situações tão complexas, elas podem responder com criatividade, solidariedade e compreensão, com a participação de adultos que também acreditam nesta relação em que todos podem aprender e ensinar em situações adversas. ​

A proposta é que a criança, nesse momento tenha oportunidade de participar com as  pessoas que com elas ficarão no período que estiverem em casa, podendo falar e ouvir  medos, receios, dúvidas, suas ações de prevenção e seus saberes sobre o coronavírus, com muita criatividade e afeto. Entendemos que é na interação que os laços de confiança e amizade se fortalecem e que eles são necessários para a formação de sujeitos críticos, conscientes e atuantes no mundo em que vivem. ​

Lembrem-se de que as crianças gostam de registrar e de ver registradas suas opiniões, ideias, brincadeiras e conversas, se quiserem podem utilizar as câmeras de celular, luzes, sombras, tecidos, fantasias; aproveite os objetos de casa para tornar este momento mais divertido e acolhedor. Envie o vídeo produzido para a Unidade Escolar da criança. Nós estaremos em contato para acompanhá-los. O objetivo é construir um acervo de vídeos que criarão laços entre as crianças de várias unidades escolares, valorizando o respeito e a diversidade ​ Além disso, semanalmente, encaminharemos sugestões de atividades e interações entre familiares e nossas crianças na perspectiva de mantê-las próximas e atuantes do/no processo pedagógico, que é importantíssimo para o seu desenvolvimento e aprendizagens.

Aproveitaremos os espaços virtuais para conversarmos sobre assuntos importantes do desenvolvimento dos nossos pequenos. Utilizaremos os recursos tecnológicos para compartilhamento de histórias que possam render bons momentos de leitura em família, para contar-lhes um pouco dos processos vivenciados pelos grupos nos últimos meses e para o envio dos registros.

Desejamos que vocês se mantenham seguros e fortes. Até breve!

 

                                                                                                                                                                                                         Coordenação Pedagógica Educação Infantil

Atividades:

EXERCITANDO A IMAGINAÇÃO

A partir de agora, faremos parte de uma liga de super heróis!!! Cada um terá SUPER-PODERES, que ajudarão a combater o covid-19, coronavírus.

Vamos conversar e decidir: 

- Como é esse super-herói?

- Como ele se veste?

- Qual é o super-poder?

- Ele tem arma? Como ela é? O que sai dela?

- Quem pode colaborar com ele, quem são os outros super-heróis da liga?

- Como foi o fim do coronavírus? O que aconteceu depois?

Se quiserem podem desenhar, ou registrar de outras formas, mas só a conversa já está valendo!

 

O BRINCAR LIVRE   

Mas, o que, afinal, é “brincar livre”? Em poucas palavras, a criança está brincando livremente quando desenvolve uma atividade lúdica livre de direcionamentos, regras, imposições, estímulos intencionais e objetivos de aprendizagem. E não existe formato ou padrão para um brincar livre, o que existe é deixar a criança explorar sua criatividade, em seu próprio tempo e termos, e criar sua própria brincadeira.

Sem qualquer estímulo, aquele canto da sala pode se transformar em uma aventura fantástica, as flores do jardim podem ganhar vida e se transformarem em fadas, e aqueles brinquedos podem se reunir para um chá da tarde cheio de conversas e risadas. Na brincadeira livre tudo é possível e a imaginação da criança é seu maior combustível. Quando falamos em brincar livre, a brincadeira é um meio, mas também um fim

“É no brincar e talvez apenas no brincar que a criança ou o adulto fluem sua liberdade de criação e podem utilizar sua personalidade integral e é somente sendo criativo que o indivíduo descobre o eu”.

 

(D. W. Winnicott. O Brincar e a Realidade. 1975).

Fonte: CATRACA LIVRE

 

Dicas de outros sites:

Concentração: 10 brinquedos caseiros para brincar em silêncio

 

 

Ana Teberosky fala um pouco sobre a importância da riqueza do vocabulário no dialogo com a criança

2020, Prefeitura de Miguel Pereira | Secretaria Municipal de Educação

  • Instagram